Fondue em Casa
Protetor Solar- Tem que usar!
Hidratação Rapidinha
Meu Life Planner
Então chegou o dia 03 de agosto e lá fui eu, mamãe e marido para o hospital de manhã bem cedo. Dar entrada na internação, tomar banho com o sabonete especial, vestir a meia anti-embolia, falar com a nutricionista, enfermeiras e anestesista. Por último porém não menos importante: a visita do meu querido cirurgião. Onde ele para já me deixar mais calma me deu um lindo presente.


Chinelo, toalha felpuda (a do hospital era péssima- hello Barra D´or, revejam essas toalhas ae hein), sabonete, shampoo e hidratante da Natura e uma necessaire super prática.


Muito atencioso, útil e fofo. Adorei. Depois ele me marcou, me mediu, mediu de novo e marcou muito. Prontinha. As 15h estaria indo para o centro cirúrgico.

Já precisei fazer duas intervenções cirúrgicas por motivos de saúde antes e nunca tive medo de anestesia nem nada. Nesse dia não podia ser diferente, estava bem tranquila. Confesso que um pouco apreensiva com o resultado final.
A enfermeira confirmou meus dados ainda na entrada do C.C. e disse que eu estava muito animada, que nunca tinha visto ninguém ir operar assim, nem mesmo plástica. Eu ri um pouco e disse que confio em Deus e o que tiver que ser será independente do meu estado de nervos.

Depois tudo correu normalmente, falei com a equipe, me prepararam e tchau tchau, caí naquele soninho gostoso que só a anestesia geral nos proporciona… Acordei ainda no centro cirúrgico e quase tive um treco quando olhei para o relógio na parede e marcava 22h…

“Meu Deus, deve ter dado tudo errado. Fiquei muito tempo aqui!”

Foi me dando um desespero e eu não conseguia falar ainda, mas juntei todas minhas forças e perguntei ‘que horas são?’. E uma mocinha muito simpática me disse ‘seis e quinze, aquele relógio ali está parado’. NESSE INSTANTE EU VOLTEI A RESPIRAR ALIVIADA!

Chegando no quarto fui passar da maca para a cama e foi nesse momento que me dei conta: não carrego mais 5kg de peso nos meus ombros. Estava tudo tão leve, mesmo com a anestesia, meio grogue, meio zonza, eu senti um alívio tão gostoso que naquele momento eu nem pensei se os seios tinham ficado bonitos, só agradeci por não estarem mais torturando minha coluna.



O doutor Acrysio passou as recomendações, remédios para dor ou enjoo e passei a noite super bem, sem nenhum desconforto e nem precisei de remedinho para dormir. Dia seguinte me alimentei legal, fiquei de pé e tive alta.

Na primeira semana eu precisei de muita ajuda em casa. Comida na boca, banho e pentear o cabelo só com alguém fazendo para mim. Ir ao banheiro eu até conseguia, mas não alcançava a descarga. Os movimentos dos braços ficam muito restritos mesmo. A recomendação é que você não levante os braços por 60 dias, durma de barriga para cima nesse mesmo período e use o sutiã cirúrgico até o seu médico liberar. É necessário muito apoio e ajuda. Muito mesmo. Sem falar nos curativos que precisam ser feitos 2 vezes ao dia.

Primeiro dia em casa. A cara ta ruim, mas os peitos tão lindos!


Nas primeiras 3 semanas eu precisei ir no consultório do doutor toda semana para ele ir tirando os pontos aos poucos (foram mais de 400), acompanhando de perto a evolução da cicatrização. No geral tudo correu muito bem, comecei a sentir algum desconforto depois da segunda semana de cirurgia. Não chegava a ser ‘dor’ propriamente dita, mas uma sensação diferente nos seios.

Nessas semanas eles estavam muito inchados, o esquerdo ficou meio torto e super altos (quase na altura do meu queixo). Mas eu sabia que era normal, com o tempo tudo iria para o seu devido lugar. Nesse período fiquei em casa de repouso absoluto, andava de carro apenas para ir no consultório médico e isso me deixava exausta e super dolorida o resto do dia.

Usei a meia anti- embolia por 15 dias. É um saco, é quente mas é necessário.

Atenção aos detalhes: colchão no chão para meu marido e enfermeiro dormir pertinho de mim, mas sem me atrapalhar na cama, cadeira em frente a TV para não passar o dia todo deitada e roupão no pé da cama para não ficar zanzando de camisolinha pela casa né?!


A alimentação também foi pensada para meu bem estar, evitando alimentos condimentados, frituras e gorduras. As medicações do pós operatório terminaram com mais ou menos 20 dias, não tive nenhuma infecção ou problema. Conforme o tempo ia passando as sensações iam se transformando, inclusive porque entrei no meu ciclo menstrual e como a maioria das mulheres inchei e fiquei com os seios doloridos. Demorei um pouco para me ligar nisso. Passei alguns dias reclamando de ‘uma dor contínua’, até que meu app do celular (uso o My Cicle) me avisou que meu período estava chegando e tudo fez sentido…

Nesse ponto correu tudo bem, usei o coletor sem problemas e quando passou os seios desincharam muito. Consegui ter uma ideia pela primeira vez de como eles ficariam. Digo ‘ideia’ porque temos ainda de 6 meses a um ano para eles se ‘assentarem’ e ficarem no formato permanente.


E depois de 20 dias já deu até para por uma roupinha, me arrumar ‘marromenos’ (o cabelo ainda preso porque ninguém acerta secar meu cabelo como eu gosto) e ir ali na rua rapidinho e voltar. Impagável poder usar uma regatinha, mesmo inchada e com sutiã cirúrgico. Comecei a entender como essa cirurgia iria mudar minha vida, seja no sentido de roupas, saúde, auto estima…

Veja o primeiro post sobre minha cirurgia aqui.
Eu já fiz um post sobre essa lojinha virtual que eu amo ( clica aqui ) e como passei meu aniversário longe do marido e de repouso por causa da cirurgia, meu amor resolveu me surpreender com um presentinho bem a minha cara… Já sabendo que eu simplesmente amo tudo que vende por lá, recebi uma caixinha recheada de mimos:

Clica que aumenta.



Ganhei um maxi brinco em tons de grafite, um cordão com um globo de pingente (muito mimoso e o significado é incrível), uma gargantilha tripla com pingente de pena e um brinco argolinha torcida super fofo.

Todos os acessórios são de ótima qualidade, delicados, minimalistas e a minha cara!! Como sempre, tudo veio super bem embalado e MEGA HIPER cheiroso.

Agora em destaque meu globinho lindo (presentes com significados internos e pessoais são os melhores né?! ):

Clica que aumenta



O link para a loja está aqui, duvido você passar por lá e não se apaixonar por nada!

OBS: esse post NÃO é patrocinado, é só amor pela loja mesmo.
=)

Meus mimos <3

Com lojas no Arpoador, Leblon e Barra, a marca une o know-how do chef Thomas Troisgros e do empresário Rony Meisler, do Grupo Reserva.  Aberta em 2013, na Galeria River, no Arpoador, a Reserva T.T. Burger é a primeira hamburgueria 100% brasileira. Hoje com três lojas, a segunda inaugurada em 2014, no Leblon, e a terceira em 2015, na Barra da Tijuca, a marca já é um dos pontos gastronômicos favoritos dos cariocas quando o assunto é o sanduíche que é uma unanimidade mundial. Com média de 20 mil hambúrgueres vendidos no mês, o “matador de fome” nasceu da ideia dos sócios de unir o know-how que tinham em suas áreas.

Se você é carioca, mora por aqui ou já veio à passeio, é bem provável que já tenha escutado falar ( ou tenha experimentado) do T.T. Burger. Uma hamburgueria de alta classe, toda descolada e fofa. Estava louca para conhecer e aproveitei as férias do marido para matar o desejo.


tt-burger

Lá você pode escolher entre sentar do lado de dentro ou na varanda.



A casa conta com poucas opções no cardápio, porém tudo é extremamente personalizado. Fomos visitar a loja da Barra da Tijuca, em um dia de semana de noite. Estava bem tranquilo, nem muito vazio nem muito cheio. Assim que chegamos um rapazinho veio nos apresentar a casa, explicou cada item do cardápio, falou sobre as cervejas disponíveis naquela noite, enfim foi super simpático e solícito.


Mais por dentro do esquema da casa (sem garçons, onde o primeiro pedido precisa ser feito direto no caixa – onde rola aquela fila básica- e os outros podem ser feitos direto com o rapaz simpático) escolhemos nosso ‘matador de fome’, os ingredientes extras, eu e marido escolhemos uma boa cerveja artesanal para harmonizar e deixamos a sobremesa para depois.



Como éramos 4 pessoas deu para cada dupla pedir uma opção de batata (batata palito frita comum e a batata do Thomas – chips no vinagre e sal) e provamos as duas. Lá você encontra o ketchup de goiabada (o sabor é levemente diferente – mas se comer sem prestar atenção passa por de tomate tranquilamente).



Existe a opção de hambúrguer vegetariano com um super cogumelo no lugar da carne. Ele é feito em uma parte da chapa separado, onde não tem nenhum contato com as carnes. Era tão lindo e convidativo que acabei colocando o cogumelo como ingrediente extra no meu T.T. BURGER ( 200g de carne, queijo meia cura, tomates frescos, alface romana, picles crocante, molho T.T.), também coloquei carne seca crispy. E escolhi o pão de pimenta (levemente apimentado e muito saboroso).



O marido também personalizou bem o T.T.ZÃO dele (carne em dose dupla). Ele ficou uma graça com o babador que a casa oferece para você não se sujar enquanto come.


Os hambúrgueres ficaram prontos bem rapidinho e estavam muito gostosos. A gente se lambuza bem para comer pois é tudo muito suculento (mas sem ser gorduroso – o que é uma vitória da rede)!


Irmã mais velha serve para tirar foto nessas horas mesmo... rs

Irmã mais velha serve para tirar foto nessas horas mesmo… rs


Depois é a hora da sobremesa. Escolhemos os churros para comer e um ‘Sacode’ (um milkshake menos batido) de paçoca para tomar.  A escolha foi um pouco equivocada pois acabou ficando muito doce e enjoativo. Creio que apenas um ou outro seria melhor.  Depois de tanto doce fui pedir uma garrafinha de água mineral e o rapaz simpático me ofereceu a água da casa, devidamente filtrada e bem gelada. Curti a delicadeza.


Cada porção vem 3 palitos de churros fritos, enfiados em um copo doce de leite. O palito é vazado no meio (igual um canudo).


Sacode, Mô!


Flagra!

Flagra!



Saímos de lá super satisfeitos (para não dizer rolando) e certos que voltaremos.


Vale a pena ressaltar que a marca é elitizada, seus endereços são sempre em áreas nobres e os preços são bem altos para o tipo de culinária (hambúrguer e batata frita + milkshake ). Gastamos entre R$130 e R$170 por casal (a bebida -refri ou cerveja- faz a diferença).

T.T. BARRA
Avenida Olegário Maciel, 460 loja D – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro – RJ
Tel.: (21) 96458-8675

Horário de funcionamento:
seg. à qua. – 12h a 00h / qui à sab. – 12h as 05h / dom. – 12h as 00h

Site